quinta-feira, 27 de maio de 2010

“ O SONHO “

Mércia, era uma menina meiga e carinhosa , amava sua família e a todos que a rodeavam . Admirava seus avós ,que tudo faziam para vê-la sempre com um sorriso nos lábios . Juntos passeavam pela praia , todos dias , pela manhã. Faziam castelos e bonecos de areia; jogavam punhados e punhados de areia para cima e recitavam as seguintes frases :

“AREIA DA GROSSA , AREIA DA FINA ,AREIA NOS FAÇA ,FICAR PEQUENINOS “

Os antigos diziam que os grãos de areia , eram seres encantados , que uma vez invocados , realizavam sonhos quando alguém os desejava. Mas , a fatalidade foi implacável , levou-os deixando no coração de Mércia , uma incontida tristeza .

Já mocinha , levada pelas recordações, saiu caminhando descalça, pela praia , para sentir melhor o frescor da areia do mar .Silenciosamente pensava ... “como é triste a separação, como gostaria que vocês estivessem aqui comigo , neste instante de dor !! Sinto-me tão só, mesmo rodeada de amigos e pessoas que me querem bem ...! Eu os amava tanto !...porque tem que ser assim ? Sinto saudades muitas saudades Como em êxtase , pegou um punhado de areia , distanciou seu olhar , como estivesse viajando para bem longe . Jogou um punhado de areia para cima ; como faziam juntos e começou a recordar bem baixinho:

“AREIA DA GROSSA , AREIA DA FINA , AREIA ME FAÇA VER MEUS AVOZINHOS “

Logo, levantou-se de mansinho e caminhou pensativa. Chegando em casa , sempre silenciosa , subiu correndo as escadas, que davam para o sótão , jogou-se numa cama , já envelhecida pelo tempo que pertencera aos seus avós . Soluçando , fechou os olhos e muito compenetrada balbuciou : vocês viverão sempre , dentro do meu coração nunca os esquecerei eu prometo !

De súbito, um ruído , outro e depois ... Pisiu...Pisiu !! Ela levantou-se assustada e perguntou : Quem está ai ? Uma voz cansada e rouca respondeu :

_ Somos nós , minha querida , seus avozinhos ; queremos vê-la .Venha cá , queremos abraçá-la não tenha medo , faz tanto tempo !!!

Por um momento ,Mércia não acreditava no que ouvia ,pensava . “ É um sonho , não pode ser verdade !! Seria felicidade demais ...”

Abraçaram-se, permanecendo assim por longo tempo . conversaram , sorriram e se abraçaram longamente

Mércia segurou bem forte , as mãos dos avozinhos dizendo:

_ vamos descer, para que todos os vejam !

Eles apertaram suas mãos e disseram bem baixinho...

_Não, acho melhor não ,eles não entenderiam ;você sim, pode nos ver e ouvir, você soube manter silenciosa a nossa imagem nítida em sua memória . È constante e espontânea . Só uma mente fértil como a sua , pode transportar , do passado para seu presente e até mesmo para o seu futuro se quiser.

Então, Mércia disse : o meu desejo , é que vocês fiquem sempre no meu presente e juntos caminharemos para um futuro brilhante avozinhos isso eu prometo !

Despediram-se sorrindo por terem se encontrado .Depois de tanto tempo ...

Sua mãe , ao vê-la descer as escadas do sótão sorrindo, surpreende-se , pois , fazia tanto tempo que Mércia não sorria para o mundo em que vivia . Olhou para sua filha e com uma voz melodiosa disse:

_O que foi filha, viu passarinho verde?

Ela sorrindo disse:

_ sim, mãezinha , vi mais que isso ! Fiz uma viagem longa , em um segundo ! Onde só os que amam verdadeiramente ,conseguem chegar lá ... Foi maravilhosa á viagem !

No outro dia , lá estava Mércia bem na matina , na biblioteca escrevendo ... escrevendo, até escurecer ... isso aconteceu várias vezes . escreveu ... escreveu e foi escrevendo sem parar ...

Foi um modo que Mércia encontrou , para permanecer sempre ao lado deles narrando os mais lindos episódios, de duas pessoas boníssimas que fizeram feliz a sua infância . Enquanto escrevia , ela sorria , parecia que se comunicava com eles e muito feliz os via sorrindo também .

Em cada página que virava lá estavam eles falando com Mércia . Ao fechar o livro , pude ver com letras garrafais as seguintes frases:

”AOS MEUS QUERIDOS E SAUDOSOS AVOZINHOS . MEUS AGRADECIMENTOS , É POR VOCÊS QUE ESCREVO “

Foi assim que tornou-se a mais famosa das famosas escritoras .

Acordei.

“OS PASSOS”

Estava eu distraída olhando um ponto distante, o qual me confundia, a medida que eu tentava mais e mais enxergar .

De repente, ouvi um barulho intenso. Resolvi olhar para trás. Muito assustada, vi um batalhão de passos, uns enfileirados, outros num emaranhados que fazia dó.

Cada um desenrolava um grande rolo, que relatavam uma história de dor, luta, dúvidas abnegação, enfim uma crítica .

Cada um deles, possuía uma cor diferente que, que simbolizava a duração do seu trajeto no planeta terra .

De vez em quando , uns piscavam , pareciam cansado, outros quase se apagando; eu olhava admirada, aqueles passos , e não entendia bulhufas. Que passos seriam aqueles? Resolvi perguntar: de onde vieram? Quem são vocês? Como chegaram até aqui? O querem comigo? Mas, eles não responderam nada, só me olhavam, sem parar... Parecia que queriam me dizer alguma coisa ; algumas cores brilhavam , quase me cegavam eu não entendia nada , não sabia o que fazer Resolvi virar e caminhar , me afastando deles . Um deles passou a minha frente de andar dizendo : _você não nos reconhece ? Somos os seus passos ; os passos de sua vida! Todos disseram mesmo som , na mesma nota . Sim , os seus passos ; os passos de sua infância , adolescência , juventude , enfim , os passos que você está dando agora , neste momento . Portanto, somos os passos que você deixou para trás ,ao longo de sua vida . Vimos o seu cansaço , seu desânimo , sua dificuldade para caminhar até ao ponto almejado por você, ao seu destino . Não desanime, não fraqueje agora, continue ,vá em frente , tentando; porque “ELE”, está sempre lhe dando forças . CORAGEM! Eu perguntei :

_QUEM ?

Eles disseram, sempre no mesmo tom :

_ Aquele que te fortalece e dá VIDA .

Eu então , ainda muito assustada respondi com toda presteza :

_“ELE”, DEUS” . Não é mesmo ?

Eles responderam :

_ É, mais , você O impede de agir , se desorientando ... Bem ... sabemos que é difícil a jornada , mas você chegará , basta compreender . “Quem caminha sempre alcança “ , e como é curta a jornada, quando se quer caminhar até ao horizonte ! Mas , lembre-se , quando alcançar o seu objetivo , não desanime , novo horizonte terá que alcançar . É o lema , é o verdadeiro sentido da Vida de todos aqui na terra , até o corpo não suportar mais , o peso da luta da vida .Tudo isso ficará registrado no grande livro da vida . Acredite .

Silêncio... Depois ...

_Adeus ...Você sentirá o perfume das flores que você plantou e colheu e colherá . Não desanime ! Acordei admirada olhando os meus pés e um perfume de lírio gostoso e logo me perguntei:

_será que tudo que acabei de ver e ouvir é verdade mesmo? São mesmo, meus passos ?

Uma criança ia passando neste momento e disse sorrindo: Foi...

Acordei.

“QUE FRACO GOSTO “

ESTAVA SUPER ENTRETIDA OLHANDO PARA UM PONTO QUANDO DE REPENTE ESSE SE MOVIMENTOU . OLHEI ATENTAMENTE , BEM DE PERTINHO E PUDE VER UMA ENORME BARATA SUBINDO NA PAREDE DA FRENTE DE UM APARTAMENTO , COITADA, QUE TRISTE SINA! UM TICO-TICO VEIO E BICOU-A E ELA RESISTIU . VEIO OUTRA VEZ E ELA TENTOU RESISTIR MAS , BALANÇOU E CAIU NO CHÃO . CERTAMENTE MORRENDO DE DOR POIS , SUAS PERNINHAS MOVIMENTAVAM DE UM LADO PARA OUTRO DE COSTA . TUDO BEM ...O TICO-TICO CERTAMENTE LEVOU VANTAGEM . VEIO BUSCAR UM BOM PETISCO PARA SI E SUA FAMÍLIA E FAZER “AQUELE BANQUETE “ SERÁ QUE TICO-TICO TEM FAMÍLIA ?” E BARATAS? ALGUÉM SENTIU SUA MORTE ? FIZERAM LUTO? LEMBRAM E TEM CONSCIÊNCIA?? CÁ PRA NÓS ... ACHO QUE OS ANIMAIS MESMO OS MENORES TEM FAMÍLIA SIM ... NÓS É QUE NÃO ENTENDEMOS A VIDA E INTEGRAÇÃO DOS BICHINHOS INFERIORES.

“Arrepiada”

Eu estava sem sono, fui assistir televisão e depois resolvi relaxar para então dormir. Meus filhos estavam ainda acordados, mau coloquei a cabeça no travesseiro após a oração,ouvi nitidamente, uma voz meio rouca dizer : “MUDA DE ROUPA ...”HUM... fiz uma pausa e continuei a me posicionar para dormir mas , assim que apoiei minha cabeça no travesseiro a voz : MINIMO ... outra pausa ... RIQUISSIMA.

Era uma voz desconhecida e era feminina, firme e pausada. Parecia um código e eu gostaria de decifrá-lo. Alguém queria comunicar-se comigo e até hoje, não consegui entender de fato o que seria ...

SÒ peço á Deus que me dê coragem e sabedoria para entender.

Essa voz já algum tempo me perseguia .

Eureca! Consegui desvendar o grande mistério!

MUDA DE ROUPA: que dizer: “fique leve como a pluma. Transforme-se. O tempo é muito curto “

MINIMO: “construa coisas boas, educa-se espiritualmente. Faça coisas boas para seus semelhantes“

RIQUISIMA: conheça o seu próprio mundo dentro de você, explora-o e encontrará um grande tesouro escondido no fundo desse baú que você tem aí no seu peito o coração.

Aconteceu comigo

“ A garrincha”

Havia um buraquinho na parede externa de uma construção, ao lado onde eu moro . Todos os dias uma garrincha levava um raminho e lá dentro deixava . Um dia esse pássaro entrou nesse mesmo buraquinho e por lá ficou .

Eu então imaginei... deve estar botando seus ovos ou chocando-os , ou até mesmo já com seus filhotinhos ... tudo bem ... Alguns dias , ele saiu para procurar algo para comer e certamente levar para seus filhotinhos . Catava grãos no chão e algumas migalhas de pão que os funcionários deixavam cair . Depois voava e lá ficava novamente . Eu imaginei certo . Eu falava com meus botões: _Ah, estava chocando heim? Agora está alimentando seus filhotinhos não é ?

Um outro pássaro entrava e saía de vez enquanto , devia ser o seu companheiro .

Após alguns dias , os funcionários cobriram o tal buraquinho de ...massa de cimento . Logo, um pássaro , certamente a mãe , ou o pai, tentava a todo custo entrar ou melhor, achar o buraquinho da parede e não o encontrou mais . Coitadinho! Rodava ... rodava tentando lembrar :

_Onde é o ninho? Ele estava aqui !

Não o achando ele ficou triste, com alguma coisa no biquinho , parecia alimento e o colocou no chão , pegou novamente, pulou de um lado para outro e não compreendeu nada .

E os filhotinhos , que fim levaram? Será que morreram ? Acho que sim... asfixiado... E os pais ? Certamente sofreram muito e eu também .

“NA PISCINA” NÂO É POSSÌVEL ?

Fomos num churrasco na casa Bernardo . Comemos, conversamos e depois fomos para a piscina brincar. O dia estava propício , para um bom banho de piscina , jogar água no rosto dos outros , que não entravam no nosso rol, ou melhor, não queriam ser molhados . Tudo bem... Foi uma algazarra só de alegria e mais alegria ,numa nota só . Isso, só dentro de um quadrado azul bem no alto de um terraço . A água estava quentinha e já era bem tarde e ninguém saía da piscina , estava bom demais para sair da água e que gostoso chacoalhá- las , para lá e pra cá . Grande foi a nossa surpresa ,quando algo estranho começou a flutuar nas águas clarinhas , rodopiando...rodopiando, tirando nosso sossego ; estava bom demais para ser verdade . De acordo com as braçadas e os pulos que as crianças davam , O N N I ( objeto nadador não identificado) sacolejava, mais e mais,aproximando e se fazendo ser ou não ser ONNI . Alguém perguntou: :

_O que é isso? Socorro!

E ONNI não foi identificado por ninguém.Ele foi rodando...rodando... de repente , um odor exalou por todo canto da piscina e todos ficamos num só tom :

_ hum...hum...hum! Foi tão gozado , cada um saindo devagarzinho para não assustar ninguém que ainda não havia percebido a “COISA” .

Ele chegou para quebrar o encanto da família unida . que pena ! sabem o que era ? Não adivinhou? Ora , era algo que se comeu , desgastou e sobrou e foi jogado fora e o pior , dentro da piscina .

Ainda bem que você é bem pequenininho ,meu bonequinho ,ninguém vai reparar o que está aqui nesta página . Está bem querido?.

BANGÁ?

“Que raiva é essa“? B, é a primeira letra do nome de meu neto. Ele tem um nome lindo. É grandinho, para uma criança tão pequena e tão novinho ! Grande,novo ,é isso ...Era grande no tamanho para sua idade . E para sua inteligência ,era pequeno demais para sua idade . Entendeu o trocadilho ? O nome dele é “BERNADO”. Um dia,ele queria ir a pracinnha brincar,com seu pai p erto da sua casa,mas,seu pai além de estar cansado,não podia levar-lo naquele momento.Para convence-lo,ele falou auto,esperniou,rolou no chão dizendo:vou contar para minha avó,que você quenão quer me levar,você vai ver! Como isso tudo não o convenceu,ele pegou seu bonezinho,massacrou e o jogou no chão pisando-o,depois jogou o boné bem ao longe dizendo:pronto! Joguei meu boné longe! Joguei...Hum...Como isso também não bastasse ele colou-se por alguns minutos,resmungou e foi brincar choramingando até dormir.Coitado! Fez de tudo para chamar a atenção do pai e ele nem percebeu de tanto cansaço...


*Certamente ele pensou:”não adiantou nada minha pirraça,só me cansei,o que farei depois?

Já sabe quem sou?

“O Gambá “ Bernardo, assistia televisão no CANAL FUTURA O TEMA ERA : VIDA DE CRIANÇA E O ANIMAL ERA UM GAMBÀ

Bernardo não tirava os olhos do filme , nem piscava , ele não queria esquecer o nome do animal GAMBÀ, repetia sempre. Já enjoado de assistir televisão, saiu falando o nome do animal : como é o nome mesmo? Ah, acho que é bangá , será? Parou para pensar... resolveu perguntar a sua mãe: como é mesmo o nome do animal,mamãe? Sua mãe respondeu lá da cozinha: é um GAMBÀ filho. Tudo bem obrigado? BAMGÀ ,BAMGÀ,BAMGÀ... e foi falando sem parar , acreditando que esse era mesmo o seu nome pois não saía de sua cabeça . BERNARDO, não troque as letras rapaz !

OUTRA do Bernardo :Bernardo ouviu pela televisão que o jogador de :basquete escafedeu-se , ele falou sorrindo a sua mãe : mamãe o jogador de basquete OSCAR fedeu , que horror? QUIS dizer:OSCAR escafedeu-se . Bernardo, não confunda , não troque as letras!!!

sábado, 22 de maio de 2010

“Consciencioso, heim, Bernardo?”

Um rapaz muito educado passou e cumprimentou a mãe de Bernardo:

_ olá, senhorita!

Bernardo olhou sua mãe e disse:

_o moço chamou você de senhorita, escutou mamãe? Sabe por que mamãe ele a chamou de senhorita? Porque você é muito bonita!

Sua mãe olhou constrangida e disse:

_ meu filho, mamãe só tem olhos para seu pai, mas ninguém!

Ele retrucou,:

_calma mãe, ele só a cumprimentou, não vai tomar você de papai, ouviu mamãe?

Mateus

Começamos a fazer o último dia dos encontros da Pastoral Do Batismo, e esse dia era feito na casa Paroquial . Pois bem , fomos , eu avó, a mãe da criança e agente de pastoral que nos acompanhava como de praxe . Tudo bem, o sermão do padre Márcio era muito prolongado e acabou deixando todos nós cansados . Foi um festival de bocejos . Ele só queria falar e o pior que a carapuça nos serviu direitinho .


De repente uma explosão : imagina, a criança explodiu um PUM,que acabou com a reunião. Claro, tivemos vontade de cair na gargalhada mas , por respeito ao lugar apenas esboçamos um leve sorriso , mas a vontade de rir era demais ,escancarar a boca e explodir de tanto rir , até esquecer.

E Mateus você foi a nossa salvação, Ufa!

PENSEI,QUE NÃO ACABARIA MAIS.





Estávamos na rua: eu,avó ; e Andréia, fazendo compras , de repente... vi o Mateus, com dois meses de idade , com o dedinho no nariz . Quanto mais ele tentava tirar o dedinho do nariz , aprofundava mais, talvez estivesse coçando. Claro, não tinha controle motor ainda e eu falei com sua mãe :

_ Andréia , olhe!

Assim que ele ouviu , tirou o dedinho do nariz e adivinha onde foi parar? Dentro de sua boquinha! Que azar .

Outra do Mateus . Ao tomar banho , sua mãe pediu que o colocasse debruço para testar o seus reflexos e eu o coloquei , ficou com o bumbum para cima e não conseguiu levantar a cabeça . Logo, com um pouco de esforço,ainda com dois meses , repetia a dose .

Mateus , de barriga para cima se esforçou tanto, mas conseguiu ,somente levantar o bumbum para cima e... PUM! PUM! Para completar a cena , saiu com um punhado de talco , desenhando a blusa de sua mãe , que sorriu ao levantar o pó perfumado que ele usava ,após o banho .



Ao ganhar uma cadeirinha de seu padrinho Marquinho,começou a brincar e cantar:

_“agora posso até assentar... agora posso até cantar ... “e assim foi cantando até se cansar. Depois entrou no seu baú de plástico , e colocou volante ,marcha ,chave e o fez de carro. E depois , fez uns barulhinhos como fosse carro de verdade.Que bela imaginação,não é gente ?
Marco Júnior, onde você se escondeu, com essa idade menino ?? Ah, não acredito ! Dentro da gaveta ! Menino, é muito perigoso ! Você pode ficar preso e ninguém lhe achar,você pode sufocar-se ,seu sapeca !

Um... dois...três...e assim por diante . Papai Marcos , na esperança de ensinar seus filinhos : Ludmila e Marcos , numerou a escada de sua casa de um até dez . Todos os dias , ele descia com os dois e ia contando , e assim , quando voltavam, iam contando em ordem decrescente : dez... nove oito e assim por diante . As crianças, iam aprendendo a contar despreocupadamente e com bastante interesse, pensando em se tratar de uma mera brincadeira . Até o pequeno Júnior, que não sabia falar direito começava a dobrar a língua para soletrar ,os números . E como gosta de enrolar a língua !

Que coisa linda, que papai atencioso ! ! Dou nota 10, não ? Nota100 também não? Tá bom? Não então vai nota 1000. Acertei?

Ufa , pensei que nunca acertaria . Ah, se todo papai fosse assim. Parabéns papai, pela sua dedicação.
Marco Júnior tinha dez meses, quando começou dar seus primeiros passos sozinho, ...uma gracinha ver os seus passinhos inseguros . Passava de um lado para outro segurando nos móveis , parede, e sempre sorrindo e que sorriso lindo tem o meu gatinho ! Muito esforçado,seguia corajosamente pé ante pé . Machucava com os socalangos , que por ventura encontrava ,quando descia os degraus de sua casa ou as dificuldades , de seus passinhos ainda inseguros . Quando caia no chão , não desanimava ... continuava . Sua irmãzinha de três anos , muito serelepe , adorava apertá-lo constantemente e ele chorava ,não queria se aborrecer ,só queria dandá como ele dizia quando alguém o pegava ao colo . Mais ele insistia : dandá... dandá e assim por diante . Só parava de andar quando via sua mãe chegar do serviço com seu leitinho quentinho no seu peito.

Outra de Júnior

Sua mãe , para fazer um agradinho o seu casalzinho de filhos disse bem carinhosa :


_Filha, você é minha princesinha !

Nisso veio o seu filhinho menor, e disse :

_E e eu, mãe ,e eu?

Ela falou carinhosamente :

_Você, meu filho, é o meu principezinho...

Ele ficou zangado :

_Não, mãe , não quero ser seu príncipe ,que ser é “Reio “!

Ela não aguentou e começou a rir e isso ficou na estória .

Ele quis dizer: REI. Não que ele não soubesse falar . ele sabe falar muito bem , ele ficou muito furioso .

Olá bonitinho!

Marco Júnior, é uma criança muito observadora ,portador de uma inteligência sem igual. Com apenas 3 anos de idade ele, ele acompanhava a gravidez de sua tia ... Ele só queria ficar no seu colo observando-a . Ele conseguia chamar à atenção de todos , neste quadro . Um dia sua tia foi para a maternidade e ele sabia que ela voltaria , com uma criança ao colo , pois , sempre perguntava :

_O Mateus, vai demorar a chegar, tia? Quando ele vai sair dai, da sua barriga? Ele está demorando chegar, eu quero brincar com ele !

Sabe como ele andava na rua com sua tia ? Com a mão na sua barriga , como estivesse segurando a mão de seu priminho Mateus .

Tudo bem... Quando sua tia chegou em casa, da maternidade, ele não pode celebrar sua chegada, teve que esperar sua mãe , que trabalhava ,a semana toda . Só no final de semana que ele , Júnior pode vê-lo .

Que alegria , que ansiedade, demorou mas , mais chegou !! Que espevitado!

_Tia, quero ver o Mateus, !

Ao chegar perto do berço, gritou:

_“ei bonitinho, ei bonitinho”- com uma espontaneidade ,que só ele sabia dominar .

Foi aí que comecei a chamá-lo de bonitinho , olá ,bonitinho!

Passadas algumas semanas , ele voltou a visitá-la . Após observar o seu priminho , que tomava banho ,ele puxou sua calça e perguntou:

_ “tia, o meu piu-piu é igual ao dele ? É do mesmo tamanho?

Depois de um longo tempo fazendo comparação ele olhou para sua tia , com uma vozinha bem dengosa falou :

_ “ tia , eu posso entrar na sua barriga ? Quero, nascer de você ,igual a ele, posso?

Nádegas ou Bunda?

Júnior, sua mãe gritou lá de dentro :


_O que é que você não pode falar perto da vovó Glória?


Ele depressa falou com todas as letras : “Bunda”.


_Por quê filho,?


_Porque a vovó não gosta .


E o que é que a vovó diz pra falar?


_ Nádegas .
Marquinho Júnior, é uma criança de dez meses de idade e alguns dias . muito observador apesar da idade e ouvido bem apurado , graças a Deus.


Um dia , sua mãe falava com sua filha sobre sua tarefinha escolar . acho que tirava algumas dúvidas do jardim da infância . Sua mãe dizia:

_ Minha filha, é Zero, Zero Bolinha O !

Seu pai estava trocando a fralda em seu filho , Marco Júnior , assustou-se por que o ouviu repetindo :

_ Zero, Zero ,Boínha O !

Repetindo o que ouviu ,até falar ...

_ Lâm...pa ...da - tentava falar!

Não podia ver pão na mesa que falava Pum ...Pum !

Menino, você é ainda muito pequeno para falar ,você gosta muito de tagarelar.

Que graçinha ! Quem sabe ,que estou perto de um Poliglota eu disse Poliglota .

Que nome não é ? Mas, do jeito que você tenta falar de tudo , mesmo difícil ,é provável que consiga pronunciar ,tenho certeza , você conseguirá Cuidado para não destroncar a língua, ouviu meu poliglotinha .

Vovó, te ama muiiito, um beijo.

Socorro!

Papai Marcos, após ter passado pela porta, Marquinho filho, mau sabia andar ,aproveitou e passou também, sem o Marcão ver, não percebeu que alguém havia passado por de trás . Logo a porta se fechou sozinha. Marco filho, ficou embaraçado, sozinho lá do lado de fora; como entrar em casa ? Coitado, deve ter pensado:


_“como se fala aquela palavra mágica ? Ah, socorro,estou preso aqui ,alguém me ajuda !!!? “

Pois bem, Marquinho Júnior, não sabia, falar direito mas astuto como era, começou bater na porta gritando:

_ manheeeeê !

Como sua mãe não o ouviu e se ouviu, pensou... deve ser daqui de dentro de casa ... é a voz de criança ...e parece com a de Marco Júnior onde será que ele está, meu Deus, a voz vinha do lado de fora . Então, ele começou a gritar o nome de sua irmãzinha :

_ Lalá, Lalá,!!

Com uma voz chorosa ele batia continuadamente . Foi aí que perceberam sua voz e vinha lá de fora. Que loucura Juninho. ! Preso do lado de fora !

AH,menino levado ,você está ainda muito pequeno, para fazer essas travessuras !

Que menino esperto,se não fosse ... você estaria até agora batendo na porta, não é Jú...ni...or.

Olha, que graçinha, tão novinho!

Marcos júnior, nunca tinha visto um avião na sua pouca vidinha, acho que nem na televisão.

Mas, um dia, sua mãe o viu fazendo um barulhinho, semelhante a um ruído de avião.

Foi pé ante pé, para não tirar a concentração e pode ver com seus próprios olhos ; seu filhotinho, tão pequenino, brincando de aviãozinho ,deitado em seu aconchegante berçinho .

Esse menininho é nota dez .

Alô, Júnior!

Depois de muito brincar no berço, Juninho se cansou ; virava de um lado para outro para encontrar uma posição melhor e descansar ou uma solução, para sair das grades do berço, que o impedia de descer e gozar da liberdade lá no chão . Como não encontrou , começou a resmungar , choramingar e logo ... gritou, mas gritou mesmo, até que sua mãe percebeu o choro de Juninho . Saiu correndo assustada, para ver o que havia acontecido .

Lá estava ele , todo contorcido nas grades do berço , parecia um contorcionista que exibia o seu primeiro espetáculo, a sua primeira estréia . Mas, o pior que isso era o pavor de estar enrolado no trapézio das grades do berço ,todo suado e tremendo de não ser socorrido daquele emaranhado todo . Para falar a verdade, ele gostaria de dizer:

_ “Tira-me daqui ,socorro! ! “

Sempre aprontando,hem, Júnior? Estou brincando,está bom?

Juninho

Júnior é muito esperto e tem agora cinco meses . Não pode ver ninguém comendo ,que começa Imitar ,mastigando não sei o quê , mastiga ,mastiga ... É engraçado ,ver o Júnior mastigando algo que não existe na sua boquinha . Um dia ,seus pais estavam tomando café da manhã e ele de olho se agitando . Como ninguém prestava a devida atenção , a sua vontade de comer e mastigar ,agiu da seguinte forma: pum... pum... pum ! Quase soletrando . Foi aí, que todos olharam pra ele admirados ,então sua mãe colocou um pedacinho de pão na sua boquinha e ele começou a mastigar também, degustando prazerosamente aquele pedaçinho invisível de pão ,pediu mais e mais ... foi aí que Júnior começou a falar ,e como é tagarela ! Júnior , cuidado para não falar demais ,hem! Perdoe-me Juninho é brincadeirinha, Juninhooooo. Eu te amo .

“Tão pequeno e quer falar ao telefone” ?

Com três meses de idade, você tem que só mamar, dormir , sonhar com os anjinhos ...

Observa tudo... E de tanto que sua mãe ,segurando-o no colo ,ligava e atendia os telefonemas . ”Eta colinho bom! E que sonsinho gostoso que sai desse fiozinho, desse brinquedinho! Pena que não ainda não entendo muito bem o que falam , mas , que conheço a voz isso eu conheço muito bem ...”

Um dia sua mãe colocou o aparelho no seu ouvidinho e ele ficou feliz sorrindo , pois reconhecera a voz . Ele ficava até com a respiração ofegante quando reconhecia a voz da vovó, titia,ou de sua prima sapeca . Na verdade, ele conhecia a voz de cada um de nós ,seus familiares . Era gozado que quando o telefone tocava , era o primeiro dar o sinal para que apressassem . Puxava o fio do telefone , sorria como quisesse falar também ;movimentando as mãozinhas rodando-as pra frente e para trás e os lábios também moviam ,a língua rodava fazendo malabarismo, pra cima e pra baixo .

_ Querido, você ainda é muito novinho! Espera crescer um pouco ! Que menino esperto !

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Que fome

Ei Marco Júnior, você só tem três meses de idade ,e já quer comer um pedaço de pão com manteiga,que sua mãe está comendo ? Já vi tudo ,você vai ter um apetite de leão . Segura pião , aí vem um leãozinho!!

Com três meses de idade não acredito ! O que é isso ,você é muito novinho, para imitar alguém, ouviu? Atento a todo movimento e toda voz , ele ficava como a uma corujinha na floresta, bem acesso . Se o telefone toca e ele estiver chorando ,logo se cala e presta atenção , reconhecendo a voz de cada um , da família e sorri de alegria . Imita sua tia , quando faz um barulhinho engraçado, para as cordas vocais ;ele faz a mesma coisa .

Um , dia sua mãe o colocou sobre a cama, ao lado de sua bicicleta ergométrica e ele a viu exercitando , como de costume e ele com toda classe , movimentando as perninhas pra lá e pra cá e sorria sempre quando levantava e baixava as perninhas rechonchudas. Era uma gracinha ! Para surpresa de sua mãe , ele virou-se no berçinho , ficando com o rostinho preso nas grades , não conseguindo retornar a posição certa ,de barriga para cima . Logo chorou , como quisesse gritar : socorro! Alguém me ajuda! Não consigo me libertar! Fez um berreiro , que se ouvia ao longe Cuidado, para não se machucar,criança.

Dia 7- 7 -2oo2 Ele começou a andar sozinho . Sozinho mesmo ,sem auxílio de ninguém. Caramba! .

Júnior, não bata nas flores !

Marco Júnior ,após ficar zangado , por ter sido chamado atenção de sua mãe ; como não podia falar corretamente com sua mãe por ser pequenininho, ele saiu descontando nas flores , que estavam do lado de fora de sua casa . Arrancou algumas flores, desabafando,jogando fora toda sua raiva .descarregando o tanquinho , ficando aliviado ...Júnior,as flores são nossas amigas . Não bata nelas ! .

Bem-Vindo ao nosso planeta

PSIU, OI! Quando é que você vai sair dai, desse planetinha quentinho e aconchegante ? A barriguinha da mamãe é mais gostosa? Venha pra cá,aqui também é gostoooso! Você vai gostar , eu garanto ! Ansiamos pela sua chegada . Venha , não tenha medo , você virá para um planeta maior, só não sei se este em que estou, é realmente o melhor ,ou pior . Ah, não importa , deixe isso pra lá... O que importa é que venha cheinho de saúde e feliz e completar mais um número em nossa família .

Quais as carinha que você gostaria de ver primeiro ?

Devem ser os mascarados de branco : os médicos ...ou as carinhas alegres do papai e da mamãe... ou outros personagens como: sua irmãzinha Ludmila e seus priminhos Camila, Bernardo ... Nossa ,quantas pessoas !

Não para aí não, tem mais : titios , vovós, que não cansarão de fazer caretices para lhe fazer sorrir . E olha, é a turma mais alegre do planeta , você vai gostar de sorrir a todo momento ,pois nós nos tornamos palhaço quando se trata de bebês que entram em nosso planeta , nosso lar, nosso imenso planeta TERRA

“Não se assuste”


Isso ,Lave as mãos, deixe- as limpinhas , alvas e macias exalando o perfume da impunidade, do desinteresse ,do mal caráter , da inconsciêcia .

Isso ,continue ... lavando as mãos ... dormindo um sono tranquilo , não se importando com o que acontece no mundo . Tudo bem ... Não se assuste quando abrir os olhos com o mundo desmoronando: sobre sua família, sobre você..

sufocando o seu , o meu , o nosso mundo o nosso país , a nossa cidade ,o nosso bairro , a nossa rua o nosso lar ... Ah, não adianta mais !

Tudo acabou... aconteceu... sua família destruída ...

pronto , acabou , tudo acabou. E você gritar aos quatro ventos :

_ “meu Deus , o que foi que eu fiz ?”

E você ouvir uma voz ecoar lá de cima ...

_ Nada ...nada ... na...da! Agora ,é tarde demais ! Enquanto lavava as mãos como Pilatos ...Tudo tomou essa forma ... E incrível!

“Graças”

A chuva chora copiosamente

de grande felicidade ,

em servir ao nosso grande Pai Celeste ,

molhando toda vegetação,aqui na terra .

E cada gotícula ,uma esperança ,um estímulo ,uma graça .

As sementes surgem ,

após incubadas, um longo tempo ,

sob a proteção do útero da Nossa Grande Terra Mãe .

Os embriões surgem ,alimentados pelos elementos vitais :

sol, água e terra ,

aflorando os primeiros rebentos ,

copando o jardim de verde

e flores coloridas .

A terra sorri de alegria ...

Agradecida a esse Dom de Deus

portador de Tão Grande Graça ,

explode, no seio da terra as mais variadas flores ,

que Ele, Deus oferece a grande humanidade .

“Que ironia...”

Era época de eleição ,um reboliço ,fazia-se tamborilar pela cidade , bairro, etc .Falavam-se de político e suas realizações em nossa prefeitura . Era propaganda para todos os lados,pregadas em todos os lugares ,postes ,muros ,barrancos etc...

Um dia ,ou seja nesta época, um fato , muito engraçado aconteceu na minha rua .Duas mulheres discutiam seus candidatos políticos . Cada um tentava persuadir a outra, a votar em seu candidato preferido , mas , nenhuma cedia .

Ao anoitecer ,o céu se fechou , provocando uma violenta tempestade ,o vento soprava assustadoramente ,arrancando telhado , suporte de propaganda política ,árvores sobre os postes, provocando , um blecaute total .

Foi horrível , o pânico invadiu toda comunidade. No dia seguinte ,uma das vizinhas que discutiam os candidatos , foi correndo ,a casa de sua amiga dizendo:

_“caríssima”,vou votar em seu candidato , você acredita... estávamos orando , para que a chuva abrandasse , mas ouvimos bater três vezes na porta ... no terceiro toque , tive a coragem de abrir a porta e ver o que se tratava .

Sabe , o retrato do seu candidato é que batia na porta com a força do vento durante a tempestade. Ao abrir a porta , um vento impetuoso , jogou dentro da minha sala ,no momento de oração ,o retrato de seu candidato político . Imagina, parecia dizer : “vote em mim ,por favor,vote em mim ...! “ Fiquei convencida, que era obra de Deus . Agora é o meu também .

Sua vizinha sorriu vitoriosa ,dizendo olhando para o céus, ... Viu, Senhor , eu a convenci !

Ora, foi apenas coincidência ora, ora,pois pois, rá...rá...rá. Fim.

“Sonho, nada mais que um sonho

Dormi...Que sono ...Que Sonho...!!

Dormi e entrei no mundo dos sonhos e que sonho maroto ! Ótimo e muito engraçado... mais que engraçado .Para falar a verdade ,cômico .

Imagina...Um senhor de idade com um cajado na mão , bem gasto pelo tempo , roupas longas, brancas e rasgadas nas pontas ,cabelos e barbas compridas,bem grisalhos e anelados, tentava cumprir sua missão de pregador da Palavra de Deus. Eu particularmente respeito muito ,mas não posso deixar de narrar alguns episódios desse sonho maluco e morrer de rir.

Esse senhor, falava sério em alta voz em plena Avenida Rio Branco e olhava para o alto de uma montanha de pedra , onde ostentava uma enorme imagem do “Cristo Redentor “ lugar de destaque da cidade de Juiz de Fora . Ele gritava :

_ Povo, meu povo, olhem para cima ! ! Daqui a pouco ,cairá uma violenta chuva sobre a cidade, talvez um dilúvio e esse dilúvio ,surgirá dessa imensa pedreira e morrerão muitas pessoas . Vamos orar, para que possamos salvar nossas almas e que Deus tenha piedade de todos nós e perdoe os nossos pecados .

Na medida que profetizava , acontecia o inevitável . A violenta chuva caía sobre o povo e cada filete de água que surgia , o povo gritava amedrontado :

_ “Meu Deus e meu Senhor, tende piedade de nós ! “ Perdoe os nossos pecados !

Eu via tudo,no meio de todos e não sentia medo nenhum ...Mesmo não vendo os meus familiares, não sofria, nem medo sentia , com tudo que via e ouvia , simplesmente, assistia ...

Em um dos filetes de água que caía violentamente , entre as árvores e pedras que amorteciam as quedas d’água . Neste filete de água vinha também , um senhor assentado na água com os braços abertos , as pernas escancaradas e entre elas , algumas imagens de santos de sua devoção, pude ver claramente : “São Jorge, São Judas Tadeu, São Benedito , Santa Teresinha e entre os joelhos, São Expedito . E ele gritava quase cantando :

_Valha-me todos os santos ! Meu Deus e meu Senhor ! Não me deixe morrer ! Salve-me !

Com os olhos esbugalhados de medo e pavor ,as pernas abertas devido a velocidade que a água descia ,fazia-o requebrar constantemente. Filetes grossos e fortes , traziam uma pessoa devota e ao mesmo tempo , um homem sem fé . Tudo fazia crer nisso . como dizia Jesus : “ homens de pouca fé “

Eu cá de baixo da av. ria incontinente... Era tudo muito estranho , eu nesta idade, com 58 anos, nesta circunstância ,morrendo de rir ... não, incrédula eu ? Credo! Nunca ! Logo ,um senhor também ,de idade gritou :

_Ouçam o ruído das águas vamos orar !- Olhou para trás ,e disse em alta voz- : quem tiver, usando dentadura ,tire- a, para que não morram engasgados ,sufocados !

É uma piada ,morrer desse jeito ,com ou sem ,morreremos do mesmo jeito . E eu fiquei observando uma senhora , de cor branca ,tirou a sua dentadura... Mas , a gengiva era completamente preta e quebrada, parecia que aquela não era a sua .

Eu ria ... ria e só ria . .. Credo, que horror ! Nesta altura do campeonato ,nesta circunstância, maldosamente gracejando ? Tudo bem ...

Esta senhora , tirou a dentadura e deu-a ao profeta , engraçado ... ao tirá- la , espalhou resido de alimento para todos os lados ...Hum... talvez , não tivesse tempo para lavá- la . Os outros ,sem vacilar , jogavam sem atenção em cima da cabeça dos outros . É incrível ! Logo ,as águas subiram pelas minhas pernas mas mesmo assim , eu não temia . Eu sorria só sorria . De repente ,eu não acreditei , aparece meu filho mais velho, dos homens ,dizendo a um dos corretores que se encontravam no meio do povo dizendo a todo vapor :

_Por favor, senhor corretor , troque o meu apartamento por “aquele” ,sem aumentar o preço? Só a troca ,nada mais ! Ah, não se esqueça dos documentos registrados !

Pude ouvir nitidamente :

_ Pode ficar com ele , meu filho ! Vamos todos morrer mesmo ! Que importa isso agora ? “

Eu não conseguia controlar-me ... De manhã, mesmo escovando os dentes, trocando as roupas , vinha a tona esse sonho . Não posso lembrar-me desse sonho engraçado .

Quando meus filhos acordaram ,eu, morrendo de rir , tentava contar pra eles mas , enquanto falava eu começava a rir ...rir ... Eu não conseguia passar direito , a cena engraçada que eu vi nos meus sonhos . Ano 2oo1 Airolg.

“Meus pequeninos hóspedes”

No meu pequeno jardim , na frente de minha casa , há nos arbustos muitos ninhos de passarinhos. Dá gosto de ver os pássaros sobrevoando o jardim , ora florido, ora cheio de folhagem verdinhas ... Eles cantam felizes e fazem seus ninhos bem em cima de nossas cabeças digamos assim , não temendo nossa presença. Os filhotes vão-se quando aprendem a voar , e voltam quando adultos , para reconstruírem, como sempre no mesmo lugar ... Muito tranquilos convivem conosco ,e o que mais me impressiona , é que eles não se preocupam em fazer seus ninhos em lugares altos e bem fechados , de folhas e galhos fortes . São tão inocentes confiando em todos aqui de nossa casa , parecem que sondam o nosso cérebro . Seus ninhos que são seus lares , é uma perfeição , e que perfeição!!! O engraçado é que remodelam seus ninhos ou melhor, dão aquele toque de mágica nos ninhos , cada vez que colocam seus pequenos ovinhos . Que obra maravilhosa é a do nosso criador! Quando vão embora , não agradecem a hospitalidade , mas cedem os lugares para sua descendência . São os hóspedes mais alegres felizes que já vi em toda minha vida .

Grácia ,Senhor da Vida !!!. Eu adoro todos vocês, sejam bem vindos ,pequenos hóspedes .

“sonho” - Quartel General

Deitei-me...Ai que sono bom! A noite estava fria, mais mesmo assim, só coloquei um lençol e um edredom em cima de mim .

Dormi... Ao longo do sono, tive um sonho, que pra falar a verdade ,gostei muito ,foi muito interessante.

Sonhei que tinha ouvido um barulho: arrasta pés, ora violentos, ora lentos, dentro de meu quarto. Não sentia medo, nem curiosidade de ver do que se tratava . Era mesmo um sono agradável, apesar do arrasta-pés.

Senti que alguém havia colocado alguns cobertores sobre mim, um por um ... E o sono continuou... Acordei com a claridade dos primeiros raios de sol batendo nos meus olhos , ofuscando-os pois , ainda sentia prazer de estarem bem fechados , continuando com aquele sono gostooooso...Um sonho que parecia não terminar .

Olhei ao meu redor , tudo tranquilo. Ameacei dormir novamente .

De repente ... um ruído e uma voz altiva e um toque de corneta : tum... turum...tum ... tum ...! Depois ... Atenção! Cobertores , sentido !

E os cobertores foram saindo , um por um enfileirados de cima de mim . Depois com o mesmo toque de corneta e a mesma voz ordenando: Atenção ! Quero que vocês marchem até ao quartel general e logo em seguida descansem ,não se esqueçam de fecharem os portões !

Um cobertor verde saiu de mim marchando como a um soldado e se posicionando dentro do guarda-roupas ,dobrando-se em seguida .

Logo , o cobertor preto procedeu da mesma forma ,marchando e se colocando sobre o verde, dentro do mesmo .

E em seguida ,o branco ...o amarelo ...azul ..todos enfileirados ao suposto quartel general ,que era nada mais ,nada menos ,que o quarda-roupas de minha neta .

Foi aí que o sono e o sonho acabaram .

Acordei , com um forte bater de portas do quarda-roupas . Eu nunca vi cobertor se movendo que dirá marchando!

Sonho é sonho ,é a coisa mais engraçada. E mais que isso .E fantástico!

E o mundo da fantasia .Mundo dos sonhos dos meus sonhos.

Que linda manhã de inverno

Hoje , bem cedinho , ainda com névoa bem baixa , sai para fazer uma caminhada , pelo bairro que até então ,não conhecia direito ,pois tinha acabado de me mudar . Comecei a rodar pelo condomínio ; observando tudo ao meu redor : as janelas de vidro fechadas , os carros ainda parados no estacionamento e a névoa abaixando cada vez mais e mais ,a medida que as horas passavam , não dava para enxergar quase nada , mas mesmo assim caminhava .

Que gostoso ver a manhã acordar ; e como acordou preguiçosamente! Parecia que o céu descia sobre mim , cobrindo-me com cobertores de algodão ... Arre , que friozinho ...!

Devagarzinho o que vejo? O sol nascendo ,com uma preguiça de acordar ,de clarear ... de interromper aquela névoa que parecia queria ficar ,permanecendo em seu lugar ...

Olhei para o céu e fitei um ponto, e esse , foi crescendo ,crescendo e os raios exuberantes, iluminando ,discorrendo uma simpatia ,parecendo sorrir para mim .

De súbito , começou a se movimentar ,girando ...girando e eu não tirava os olhos do ponto. Engraçado, quando dei por mim ,eu girava também sem sair do lugar , fiquei um pouco tonta e desequilibrei . Foi aí que senti que já estava com os olhos ofuscados pela luz , na eminência de ser derrotada ,vencida pelos raios do sol , que com toda certeza, me cativaram .

Depois desse espetáculo todo ,sentei-me num banco ,da pequena praça ao lado do condomínio e parei para ouvir o canto dos pássaros ,que passavam cantando alegremente , com a chegada da manhã .

Um João de Barro, passou,por cima de minha cabeça pousando em uma pequena árvore , dando aquele toque mágico com o seu cantar . Logo , um Bem- Te- Vi ,cantando em cima do telhado, pertinho de mim . De repente um bando de maritacas, fazendo uma algazarra terrível .

QUE LINDO É A NATUREZA!

Ao longe ,ouvia-se o canto do galo tentando avisar a todos : acorda... já amanheceu ! !

E o sol ...sorria e o seu sorriso , além de cativar, embriagava a terra, os canteiros com suas flores e a minha pele produzindo um calorzinho que só ele proporcionava.

Que homenagem,digna de uma rainha ,vindo de um astro rei que sabe conquistar a todos e tudo que existe sobre a terra .

Agora , um sol adulto e bonito , deixando para trás o seu couto umbilical , já não dá mais pequenos passos, mais sim ,passos largos , firmes e galantes .

Que lindo dia ,bom dia ,manhã !

EU Te Amo,Vejo ...VOCÊ OUTRO DIA !

O que seria ?

Após ter levado a Camila , até ao portão do apartamento , até chegar a van , que a levava todos os dias para a escola, eu subia e me assentava na cadeira de balanço e ligava a televisão para assistir um pedaço do jornal M.G, na Globo, que eu gosto muito, algo me chamou a atenção.

Abri a cortina e olhei para o segundo estacionamento, e pude ver uns pés de eucalipto que oscilavam com a brisa ,que passava naquele momento .

Nossa! Algo se movia mecanicamente,entre dois galhos em forma de V , uma distância de 200 metros mais ou menos .

Eu pude ver , uma moça de estatura bem baixa , uma anã ruiva , calça comprida ,blusa clara e no pescoço ,um espécie de lenço escuro ,como a um cowboy; sua mão esquerda se escondia sob o bolso , a direita segurava um dos dois troncos que formam o tal V.

Eu do segundo andar do apartamento , pude ver claramente todos os detalhes . Os pés se escondiam sobre a vasta grama no barranco ,onde desciam as águas da chuva .

A enxurrada que surgia acima da rua caía exatamente onde seus pés estavam uma espécie de canaleta, que finalizavam no estacionamento dos carros do segundo andar .

Depois desliguei a TV, e sai da cadeira de balanço e fui arrumar a cozinha . Eu , estava com uma pontinha de dor de cabeça que me deixava atordoada .

Seria um anjo ? Gnomo? Não, não, sei ... Mesmo não acreditando no que via ,quis ver de perto . Estou caducando,vendo coisas ?

No dia seguinte levantei- me bem cedinho , chamei minha neta e caminhei até lá para ver e acreditar como São Tomé ver para crer .

Mas o que vi ,foi um tronco em forma de um V,mais nada .

No outro dia assentada no mesmo lugar lá estava a anãzinha ruiva vestida com a mesma roupa e com o mesmo movimento mecânico . Logo ,comecei a usar a razão , e cheguei a uma conclusão : o tronco ,que apresentava em forma de V, aparentemente bem elegante ,esfiapado amarelo ,com a ocilação do vento nas folhas e o sol quente de verão segurando o tronco ,os pés escondidos no vasto capim e seus cabelos se moviam na medida que o vento soprava e as folhas se moviam dando aquele toque mágico que eu via e não acreditava .

Só uma coisa eu me pergunto ,como seu corpo se movia se os troncos eram grossos e pesados ? Talvez esse episódio só desejava que eu escrevesse isso que acabei de escrever .

Inspiração? Imaginação fértil ?

“Ninho de rolinha”



Havia na trepadeira da garagem de minha casa ,um ninho de rolinha . Todos os dias eu ia vê-los e parecia que gostavam da minha presença ,não se espantavam voando desesperados e isso me fazia muito bem . Sentia-me como uma ave também . Certo dia , minha filha pegou a filmadora e começou a filmá-los ,de repente ,uma surpresa : surgiram debaixo de suas asinhas,três filhotinhos lindos ,abrindo o biquinho e movendo suas asinhas , ainda em penugem .Parecia que sabiam que estavam sendo filmados .Uma gracinhas ,um deles queria se mostrar mais ,abrindo seu biquinhos e beliscando as penuginhas da asinha de seu irmãozinho,e jogando-as para fora do ninho . Eu os elogiei muito, dizendo : parabéns ,vocês são uns amorzinhos ,lindos ! A mãe parecia entender , ficou toda empolgada ,levantando-se majestosamente do ninho . Após alguns dias ...eu ia passando debaixo da trepadeira ,eu vi, um dos filhotes caído ao chão ,morto e cheio de formiga ,eu tentei tirar as formigas ,mas foi inútil,já estava como pedra sem solução .Lamentei muito ... até chorei ...tão indefeso ! Se eu tivesse chegado a tempo ...talvez ... Chamei a atenção de todos com o meu lamento e todos ficaram tristes também .Eles já faziam parte da família e isso nos chocou muito . Minha neta de oito anos ,pegou uma sacola plástica e o colocou dentro e ficou olhando por horas e horas ... e exclamou: coitadinho, agora que está aparecendo suas peninhas !! Foi para o jardim furou um buraquinho e o colocou lá dentro , bem no fundo enterrando-o . Naquele dia não tivemos mais clima .

“Que lindo são seus filhotinhos”...!


Eu ia passando tranquila pela rua, para comprar algum  coisa no mercado, para o almoço . De repente , vi  uma cabaninha improvisada no passeio gramado de um pequeno pomar . Eu já sabia o que havia lá dentro : uma ninhada de filhotinhos de cachorro de raça comum . Uma gracinha! Aproximei-me para ver se eles estavam mamando e eu os vi , um em cima do outro dormindo . Que belo quadro! A mamãe-cachorra não estava naquele exato momento, por isso aproximei-me mais e mais . De repente, um sopro quente na minha perna e um latido estridente ... A cadelinha ficou furiosa e começou a rosnar , mostrando os dentes afiadinhos . Eu tremia como vara verde , em época de vento forte . Quis correr , mas ela , a cadela ficava furiosa , muito furiosa ,mas não tive outra alternativa se não parar e ficar imóvel , por um bom tempo ,na tentativa de me proteger , coloquei uma sacola plástica na frente das pernas , eu agachei devagarzinho e disse calmamente : não, calminha ... eu não vou machucá-los , só estou admirando-os ...são lindos ,os seus filhotinhos ! Parabéns! Por encanto,ela entendeu ,mas , ficou furiosa rosnando ,até parar bem devagarzinho ... rum...rum ...rum! Se afastando, até parar de vez , ficando ao lado de seus filhotinhos . Confesso, deu medo ,mas muito admirada e emocionada , por ver um animalzinho protegendo a sua cria , com unhas e dentes ,ao passo , que muitas pessoas por ignorância talvez ,colocam seus filhos recém –nascidos, em latas de lixo ainda com vida ou os enterram deixando-os sofrerem até a morte debaixo da terra fria e cheio de verme , as vezes em portas de igreja e hospitais, sem piedade ,sem amor e sem calor humano ,podando a esperança de ser alguém na vida . É por isso que eu digo : os animais inferiores,que julgamos subdesenvolvidos, são mais conscienciosos que os próprios seres humanos que dizemos que somos . Humanos ! Será ? Nós ? Duvido . Que horror ... !

SOU FELIZ

Sou feliz Senhor.

Porque sinto a tua presença a todo instante.

Ouço a tua voz falando comigo.

Sentindo o teu coração bem pertinho do meu , unidos no mesmo som.

Sou feliz Senhor.

Quando me sinto morrendo para o mundo e nascendo para um mundo novo,do outro lado da vida.

Sou feliz Senhor.

Porque sinto que logo, logo estarei aí, contigo no paraíso.

E talvez, quem sabe?

O Senhor esteja comigo neste momento, sorrindo para mim...

Se eu aí, conseguir chegar...

Quem me dera! Hum .... Quem me dera.



Airolg

SEMPRE ESTAREI CONTIGO NO PENSAMENTO

Hora após hora, ele é invadido por perniciosos inimigos, que bruscamente separam-me de ti,
colocando-me distante dos meus mais nobres sentimentos
. Tento fugir, mas para onde?
Não sou mais eu que comando meus sentimentos!
Será que saio dessa?
Será que vou me entregar?
Não... Não é assim que comporta uma verdadeira cristã...
Posso lutar, posso vencer esses estranhos, munida de inúmeras artimanhas, que tenho certeza: vou conseguir.
Eu não me esqueço dessas palavras: “Tudo posso naquele que me conforta e me fortalece”.
Lutarei até o fim, com as forças que obter de ti, e expulsarei todo mal, que porventura aparecer.
Eu garanto.



1994 - Airolg

SAUDADES

Tenho saudades daquele tempo, quando por acaso conversávamos na varanda.

Tenho saudades, de sua voz macia, seu sorriso manso e gestos marcantes.

De teus olhos claros, meigos e profundos.

Tenho saudades de sua fala macia, baixa e firme, compenetrado no assunto, quando se dirigia a mim.

Tenho saudades de sua preocupação com as horas, com o trabalho, e a música que ouvia, todos os dias, como uma oração de cada dia.

Parecia que queria que eu a ouvisse também.

Saudades... Nada mais

Tudo acabou... O importante, que você existe em meus pensamentos.

E que a essência de tudo, ficou gravado, dentro do meu coração que morre de saudades.



Airolg

RELÓGIO

Já se vai o tempo...

As horas, os minutos, os segundo e as frações dos segundos.

Lentamente marcam o dia com seus lentos tic-tacs...

Já se vai com seus ruídos...

Marcando o tempo

Marcando as normas que o homem criou.

Já se vai o dia carregado de problemas, nascimentos, sorrisos, idéias, choros, mortes, doenças, eventos, guerras e muito sangue...

Já se vai à vida precoce, chorando, querendo ficar.

Mesmo sabendo que a v ida o lema é: brotar, florescer e multiplicar...

Depois, no outono da vida parar, para depois, descansar – morrer.

É neste instante que o relógio biológico pára de funcionar.

É o fim.





1990 - Airolg

QUERO SER O INFINITO

Quero ser embalada em um lençol branco, do silêncio da paz.

Quero adormecer sorrindo, nas asas do esquecimento,

Sem contar, quantos passos deixei pra trás.

Quero esquecer tudo...

Não quero enumerar minhas fraquezas e desilusões

Quero ser guiada pelas asas do invencível, do infinito.

Sem deixar final...

Quero ser continuação...

Ser alma, viajando nas asas dos meus próprios sonhos.

Quero ser mais... Muito mais...!!!

Ser amor

Ser paixão.

Quero ser a própria PAZ em outra dimensão.





1993 - Airolg

QUEM SOU?

Roubaram minha voz...

Minha voz, meu espaço.

Minha autonomia foi caçada.

Não sou mais exatamente eu, que vivo.

Não tem sentido a minha vida agora.

Meu coração está ferido, minha alma estralhaçada

Meu corpo todo, na eminência.

De se abandonar na inércia

Olho pra trás e vejo minhas pegadas

Um pouco apagadas pelo tempo que passou

Às vezes , choro de saudades.

Pelo menos, nesse tempo, eu sabia que eu era.



1995 - Airolg

QUEM SERÁ O RESPONSÁVEL

O nosso amor quis nascer, morreu, antes de florescer.

Agora eu pergunto:

Quem matou o nosso amor?

O destino? O medo?

O orgulho? A distância?

A covardia, ou o abominável complexo?

Quem sabe, se foi a minha formação religiosa?

Ah, como é difícil entender!!!

Agora, fico procurando o responsável... Talvez, nunca o acharei...

Também, no meio de tantos suspeitos, nunca o encontrarei.

O autor do crime...

Quem foi, quem será?





1993 - Airolg



PRENÚNCIO

Vida ... Morte...

Morte depois da vida

Vida depois da morte

É velhice – outono da vida

São folhas secas, caída ao léu ...

É o vento forte

É furação

É sono eterno, profundo.

Sono profundo é descanso?

É dor, é cansaço.

É prenuncio de um final lamentável.

É garantia

É passaporte, para um mundo novo.

Nova cidade – Novo país

Novo modo de viver.



1966 - Airolg



PERDIDA

Acho que não tenho mais identidade...

Calaram minha voz, minha vez.

Caçaram minha autonomia

Não sou mais ninguém

Não ouço mais nada

Não vejo mais nada

Não sou eu mais que existo

Meus lábios deixaram de sorrir

A tristeza invadiu minha alma

Sou agora como noite sem estrelas...

Tudo escureceu... Fazendo-me tropicar, nos espinhos da vida, perdida nesta escuridão intransitável da VIDA.



Airolg

PEQUENO MUNDO


Você se chamava NADA.

Uma mão criadora e misteriosa

No segredo da natureza – mãe

Silenciosamente fez do NADA você surgir.

Ao surgir, você cresceu.

Ao crescer tornou-se semente.

E como semente germinou.

Ao germinar, tão pequena.

Tão frágil; fez de você.

Um pedacinho de gente,

Gente que a gente quer bem.

Do jeitinho que a gente sonhou...

Os meses foram passando

Formando-a com jeitinho.

Tornando-a querida e amada por todos...

Livrou-se do pequeno mundo uterino,

Para viver no mundo terreno

Com papai e mamãe

E demais personagens

Que você virá a conhecer um dia.

Até lá.



Quem Sou?

1992 - Airolg



O VENTO LEVOU


O vento levou suas pegadas

O tempo sua imagem

O vento levou minhas esperanças

O tempo, minha juventude.

O vento soprou o meu passado

O tempo extraiu dele o meu presente

Vivo o presente, pensando no passado,

E deles, surgiu o meu futuro.

Nada sei dele

Nada ele sabe de mim.

Eu acho que estou na casa do outro lado de lá

Revendo, o outro lado inquieto de cá.

Vivendo no meio de todos

Vivendo como animais.



1996 - Airolg

O SOL

Um dia...

Um raiozinho de sol acariciou o meu rosto e beijou a minha face, tocando-me com muito gosto.

De mansinho...

Aqueceu todo meu corpo, despertando-me de um sono profundo e gostoso.

Uma nuvenzinha negra, malvada de ciúme, surgiu em plena manhã ensolarada, ofuscando meus olhos de lágrimas, deixando minha alma despedaçada.

Depois disso... Molhou meu corpo todo, privando-me do calor, gostoso que ele, prazerosamente me oferecia.

Que peninha!

Que saudade!



1993 - Airolg

NASCER E MORRER



Sementes que já nasceram, cresceram e depois morreram.

Sementes que já morreram secaram sem produzir.

Sementes e mais sementes agarradas aos pedregulhos .

Sementes que secaram num sol quente de verão.

Sementes que foram levadas pelas aves no céu.

Sem contar aquelas que foram esquecidas bem ao longo da estrada.

É o amor falando mais alto

É a vida querendo surgir

É um compromisso de vida

Sem escolha, sem preferência

É a vida gritando: Viva!

É a morte dizendo: Amém!

Vida querendo nascer...

Nascer e depois morrer.



1986 - Airolg

EU TE AMO MAMÃE

Um pequeno mundo uterino, eu já a conhecia a fundo, eu sentia o toque de suas mãos acariciando o meu pequeno corpinho. A sua voz soava no meu ouvidinho, como uma melodia suave, ou talvez, uma cantiga de ninar e eu dormia.
Eu sentia a sua presença a todo instante, embora em mundos diferentes. Sabia quando você estava triste, ou transbordando de alegria.
Mas, você quis-me bem pertinho de você, chamando-me, ao seu mundo terreno, foi neste momento que eu sorri de alegria, mas, você não via, e eu a chamei de mamãe, e você não ouviu.
Eu nasci para você mamãe, e você para me fazer feliz.

Eu te amo. MAMÃE.



1998 - Airolg

ESPERANÇA

De tanto o tempo passar em minha vida,
acabei me apaixonando por ele.
 E ele, sabendo de minha paixão,
convidou-me para viajar nas asas das lembranças que fiz questão;
 de gravar, bem no fundo, do baú da saudade do meu coração.
E eu aceitei, e estou até hoje, viajando na esperança de poder conquistar,
pelo menos a sua tão graciosa simpatia...



1986 - Airolg

sábado, 8 de maio de 2010

QUE "CHACO"!

Que chata! Que saco!
Gozado, as crianças mesmo pequeninas, da mais tenra idade, têm a capacidade de falar de tudo que os adultos falam, embora reduzindo as palavras ou trocando letras, ficando muito engraçadas...
Ludmila, é uma pequena levada e capta as coisas com facilidade, num relâmpago.
Sua tia, maior de idade, é amiguíssima de duas palavras... pronunciava com frequência, perto desse docinho de criança que é...
Um dia, cansada de brincar e com muito sono, ficou irritada com sua priminha que brincava com ela o tempo que sua mãe visitava a casa de sua vó. Sua prima também cansada de brincar falou:
- Vamos guardar os brinquedos, amanhã a gente brinca de novo, tá bom?
Ela depressa falou a todo vapor:
- Que CHACO! CHATA! PARA! Eu quero brincar!
Mesmo com sono, ela queria brincar. Só brincar.
É isso, criança só quer brincar...mais nada... Certíssimo! Brincar é a palavra-chave. Tudo de bom.
Quem mandou irritá-la. Criança só fala o que o adulto coloca em sua boca...Sem querer querendo...

terça-feira, 4 de maio de 2010

É DIFÍCIL

Como é difícil Senhor...

Viver na certeza, que a qualquer momento vai morrer ser vencida pela morte.

Como é difícil Senhor... Crer em outra vida, depois da morte, sem ter certeza, se essa é a melhor.

Como é difícil Senhor... Ver a primavera ir-se tão cedo e o outono da vida aproximar podando com seus ventos fortes, as últimas folhas secos, que gritam querendo ficar.

DÚVIDAS OU ESQUECIMENTO?

Lembro-me, de repente esqueço tudo ...

Escrevo, mas, não sei nem mesmo porque escrevo.

Sonho, às vezes, nem mesmo sei se estou dormindo.

Se durmo, misteriosos pesadelos surpreendem-me, no sono.

Creio em um ser inocente (???)

Mas, não sei se ele crê em mim.

Desejo ser apóstola.

Mas, não sei como sinceramente proceder.

Sei que “tudo “ posso mas, de “tudo”, não posso provar.

Preciso de coragem, mas; a coragem me foge do ar tento gritar aos quatro ventos Mas, eles será que me darão ouvidos?

Oh! Como lamento a minha sorte!

Se estou acordada penso em você, se durmo.

O meu espírito grita por você, sei que é difícil gostar de mim.

Mas sei também, que não é impossível, você acredita nesse amor que sinto por você?

DOR CONTÍNUA

Tenho o rosto transfigurado pelo tempo.

As marcas profundas, sofridas que um dia o destino deixou...

Tenho as mãos calejadas, franzidas, que um dia, a necessidade, indiscretamente forjou...

Tenho o coração ferido, massacrado, resíduos da dor da saudade, que se quer, talvez, o tempo marcou...

Tenho em todo meu ser, a história completa, de dois corações, vítimas de um destino irônico, que sem piedade escreveu...

Deixando marcas, saudades e um coração solitário; e o tempo e tudo que há nele explodiram, fragmentando, todo espaço de minha alma que é tão frágil... e a dor contínua.

DESEJO

Gostaria de ser luz

Que ilumina os caminhos dos viajantes

Gostaria de ser terra

Que produz e faz brotar

Gostaria de ser semente

Que germina flores

Ser sorriso

Que cativa e encanta

Ser sonhos

Inacabáveis e românticos

Gostaria de ser o dia

Surgindo no meio da mata

O sol

Que ilumina e da vida

A lua

Que embriaga e apaixona

Ser estrela

Que cintila no firmamento

A madrugada, orvalhando nas plantas.

A natureza

Que empolga

Ser mistérios com seus enigmas indecifráveis

Gostaria de ser a noite com seus sonhos fantásticos...

Enfim...

Quero ser a augusta.

Aurora Boreal, para poder.

Contagiar e deslumbrar vocês.

CUIDADO

A terra você pisará um dia quando der os seus primeiros passos.

Você dará entrada ao nosso grande e lindo paraíso:

O nosso planeta terra.

Lembre-se sempre, quando você crescer ...

A entrada é saber: viver bem: sem se assustar

Sem se machucar, nos pedregulhos da vida.

E cuidado! Com a voz do mundo...

Ela nos prega cada peça!

Vem como surpresa.

Não vá cair no abismo!

Saiba sair, fugir dela, quando por ventura, ela aparecer, pois: ela é a verdadeira porta para o infortúnio da vida.




Quem sou eu?

CREIO EM TI SENHOR

Quando as rugas marcarem o meu rosto todo.

Quando a luta da vida deixar minhas mãos calejadas.

Quando os meus cabelos negros, ficarem cobertos de nuvens de algodão da velhice.

Quando as pedradas do dia-a-dia, ferirem meu coração.

Quando meus olhos cansados deixarem de brilhar.

Quando minha voz enfraquecida, rouca da velhice, deixar de falar.

Quando as veias do meu corpo, deixar de circular, o meu precioso sangue.

Quando meus ouvidos deixarem de ouvir o gorjeio dos pássaros e o vento soprar.

Quando meus caminhos ficarem pedregulhados, difíceis de caminhar.

Mesmo esquecida pelos parentes e amigos, que tanto amo.

Quando meus filhos me renegarem, pelo meu fraquejo.

Quando a morte me surpreender no sono

Mesmo assim...

Quero dizer balbuciando:

Minha fé, Senhor, continua intacta.

Obrigada por conceder-me a vida.

COMO É BOM SONHAR

Como é bom sonhar e aguardar esperanças e viver de ilusões...


Como é bom sonhar com uma pessoa a quem queremos bem e aguardar a sua chegada...


Como é bom sentar ao lado da pessoa amada, quando esta, ainda não sabe que a queremos bem...


Como é bom lembrar, que existiram poetas, seresteiros, românticos em época de “Romeu e Julieta” ...


Como é bom aguardar a chegada, de um futuro feliz e acreditar no amor, que a teoria nos mostra claramente, o que a prática nos revelou, há muito tempo...


Como é bom sonhar e acordar e ainda acreditar, que vivemos tudo o que o sonho nos revelou...


Como é bom sonhar com o amanhã, mesmo sabendo, que o amanhã demora a chegar. E quando ele chega nos revela um outro amanhã para esperar...


Como é bom partilhar com os amigos: as dores, tristezas e alegrias e sentir na alma, uma felicidade permanente... E nos consolar









BAGAGEM DE ESQUECIMENTO

Você chegou de mansinho, de uma cidade longínqua.


Trouxe consigo uma bagagem de esperança, simpatia, bondade e um sorriso contagiante... Que conquistou meu coração.


Poliu minha mente, para que eu enxergasse claramente, as coisas maravilhosas, desse mundo maravilhoso.


Depois você partiu de mansinho, para um lugar tão distante, levando consigo, uma bagagem de esquecimento e deixando para trás: tristezas, ferindo meu coração de saudades.


Fez de minha mente um emaranhado, deixando meu coração de luto, morrendo de saudades.